Suplementação de Cúrcuma, para que serve?


A curcumina é um polifenol presente na cúrcuma e foi usada pela primeira vez pelos índios mais de 3.000 anos na medicina ayurvédica tradicional. A ciência moderna descobriu que a curcumina tem extraordinárias atividades, como:

1. Inflamação Crônica e Dor

Um estudo publicado na revista Oncogene demonstrou os resultados de vários compostos anti-inflamatórios e constatou-se que a curcumina está entre os agentes anti-inflamatórios e anti-proliferativas mais potentes do mundo, quando comparado à aspirina e ibuprofeno. Isto significa, que a curcumina não só tem uma grande atividade anti-inflamatória para dor crônica, como também possui menos efeitos colaterais, podendo fornecer resultados seguros e duradouros!

2. Doenças Articulares

Devido às suas elevadas propriedades anti-inflamatórias, cúrcuma é altamente eficaz em minimizar dores articulares, inclusive em artrite reumatóide. Um estudo avaliou a curcumina em relação com a interleucina (IL-6), uma citocina inflamatória conhecida por estar envolvida no processo de doença articular, e descobriu que a curcumina reduziu significativamente os marcadores inflamatórios. Isto sugere que a utilização regular de curcumina pode ser uma estratégia potente para evitar o aparecimento de doenças articulares.

3. Depressão

Pesquisadores da Faculdade de Medicina do Governo (Bhavnagar, Gujarat, Índia) publicaram os resultados da avaliação da curcumina no gerenciamento da depressão em um estudo controlado. Foram recrutados 60 voluntários diagnosticados com transtorno depressivo maior, que foram distribuídos aleatoriamente numa proporção de 1: 1: 1, durante seis semanas de tratamento, com fluoxetina (20 mg) e curcumina (1000 mg) individualmente ou nesta respectiva combinação. De acordo com o paper, “Este estudo fornece primeira evidência clínica de que a curcumina pode ser usada como uma modalidade eficaz e segura para o tratamento em pacientes com transtorno depressivo”.

4. Diabetes

Uma das propriedades da Cúrcuma é a redução dos níveis de glicose no sangue e resistência à insulina. Por exemplo, um artigo publicado na revista de Bioquímica e Biofísica descobriu que a curcumina suprime a produção de glicose no fígado. Os pesquisadores provaram que a curcumina ativa a via da AMPK e seu alvo Acetil-CoA Carboxilase (ACC). Portanto, o estudo concluiu que a Cúrcuma age como um anti-diabético e antioxidante em diabetes, especialmente diabetes tipo 1, melhorando a função metabólica e reduzindo o risco de acúmulo de placas nas artérias de pacientes com diabetes tipo 2.

5. Câncer

Diversos estudos mostraram a efetividade da cúrcuma no controle e progressão do câncer. A curcumina possui a capacidade de inibir o crescimento de células cancerígenas, ao aumentar os níveis de antioxidantes, estimula o sistema imunológico, e faz apoptose de células cancerosas.

Referências Bibliográficas

1.Takada, Yasunari, et al. "Nonsteroidal anti-inflammatory agents differ in their ability to suppress NF-κB activation, inhibition of expression of cyclooxygenase-2 and cyclin D1, and abrogation of tumor cell proliferation."Oncogene 23.57 (2004): 9247-9258.

2. Sanmukhani, Jayesh, et al. "Efficacy and safety of curcumin in major depressive disorder: a randomized controlled trial." Phytotherapy Research28.4 (2014): 579-585.

3. Chuengsamarn, Somlak, et al. "Reduction of atherogenic risk in patients with type 2 diabetes by curcuminoid extract: a randomized controlled trial." The Journal of nutritional biochemistry 25.2 (2014): 144-150.

4. Ahmad, Mobasher, Sairah Hafeez Kamran, and Afroze Mobasher. "Protective effect of crude Curcuma longa and its methanolic extract in alloxanized rabbits." Pak J Pharm Sci 27.1 (2014): 121-8.


#Saúde #Prevenção #EnvelhecimentoSaudável #Câncer #DoençasCardiovasculares #Depressão #Diabetes #Cancer #DoençasNeurodegenerativas #DoençasArticulares #Inflamação #Cúrcuma

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo