Saiba quais são os fatores que afetam o microbioma intestinal.


O microbioma intestinal humano é um ecossistema tão complexo, que o intestino é considerado um órgão tanto imunológico quanto metabólico.

A variação da composição do microbioma é explicada por diferentes fatores.

Genes, estilo de vida, medicações, nutrientes e seus metabólitos influenciam a microbiota intestina. Doenças como a SIBO, SIII, câncer de colo intestinal, entre outras, põdem ser resultado desta interações.

Pesquisas recentes evidenciam que vários grupos de medicamentos podem ter um forte efeito no microbioma intestinal. Já é sabido que os inibidores da bomba de potássio (IBP) não são benignos a esse respeito, uma vez que podem causar mudanças negativas no microbioma.

O uso dos IBPs, como omeprazol, foi associado ao aumento de 65% de diarreia induzida por Clostridium difficile e ainda ao aumento do risco de recorrência de C. difícile.

Uma forte correlação de antibióticos tem sido descrita com várias espécies do microbioma. Sabe-se que os antibióticos diminuem a ocorrência de bifidobacterium longum, Bifidobacterium adolescentes, Roseburia inulinivorans e aumentam a ocorrência da bactéria Lachnospiraceae.

Já em relação ao uso de estatinas sabe-se que ocorre uma alteração na composição do microbioma, através da bactéria Dorea longicatena que está negativamente associada ao uso de estatinas.

Para conseguir uma mudança positiva e melhoria na saúde pública, são necessárias uma maior colaboração entre todas as partes interessadas. A multimorbidade entre adultos está aumentando rapidamente com a idade. Isso, consequentemente, leva à polifarmácia, aumentando o risco de grandes interações medicamentosas. Nutrientes essenciais têm funções centrais no metabolismo, assim interações e disponibilidade insuficiente de vitaminas podem resultar em comprometimentos críticos do metabolismo.

Estratégias individuais para os pacientes devem ser desenvolvidas, através da instalação de protocolos de revisão de fármacos e revisão da farmacoterapia. Uma das ações mais importantes é gerar maior conscientização na comunidade médica sobre as possíveis interações, somente dessa forma estaremos exercendo a medicina de precisão efetiva e segura!

Referência:

  1. Péter S, Navis G, de Borst MH, et al. Public health relevance of drug-nutrition interactions. Eur J Nutr. 2017;56(Suppl 2):23–36. doi:10.1007/s00394-017-1510-3

#medicinadeprecisão #farmacogenética #MedicinaPersonalizada #InteraçõesMedicamnetosas #EnvelhecimentoSaudável #Saúde #Intestino #MicrobiomaIntestinal

21 visualizações0 comentário